(IN) Acessibilidade

Tente ir ao banco nos dias de hoje.

Quer dizer, tenha um filho e tente ir ao banco nos dias de hoje, e você vai ver que aventura!

Vamos começar pelo atendimento prioritário: na maior parte dos bancos esse atendimento é para idosos, gestante, pessoas com criança de colo e pessoas com alguma deficiência física. No Bradesco o atendimento inclui as lactantes (pessoas que estão amamentando), neste caso, eu perguntei pra pessoa que me atendeu, como eu provo que sou lactante? Juro que estava esperando ela dizer: “é só mostrar o leite saindo do peito, oras”. Ao invés disso ela só ficou meio sem graça e disse que isso era óbvio para as lactantes que vinham receber a licença maternidade. Eu ia perguntar das outras, as que vem pagar a conta de água, luz ou telefone, mas acabei deixando pra lá. #afilatemqueandar.

***

Mas e na hora de entrar no banco?

Muito antes de entrar no banco você precisa:

  • Encontrar um lugar para estacionar;
  • Encaixar o bebê conforto no carrinho ou, se você não tem essa mordomia, tirar o bebê do bebê conforto e colocar no carrinho;
  • Enfrentar as calçadas irregulares até chegar ao banco.

Tudo bem até aqui?

Então agora temos as seguintes opções, vou começar por onde fui mais bem atendida:

Bradesco:

Ao chegar à famigerada porta giratória, o segurança chama um funcionário do banco que abre uma porta para você! Sem nenhuma burocracia ou demora, de fato uma cidadã com acesso ao banco… nesse dia fiquei me sentindo!

Santander:

Do outro lado do vidro, o segurança olha para você e faz tsc-tsc-tsc balançando a cabeça.

Eu: O quê? 

e ele: “O carrinho não pode entrar!”

E eu arregalando os olhos: “o que???!!!!!”  – Na minha cabeça passam os cifrões do quanto custou o carrinho que agora tenho que deixar desprotegido do lado de fora. Acho que Lia (4 anos), pensou a mesma coisa, porque disse imediatamente: “vou ficar aqui, de olho no carrinho”. Eu tive que rir e dizer: “muito mais valiosa que o carrinho é você meu amor. Você entra comigo”. Ela não se convenceu, ficou grudada no vidro, pelo lado de dentro do banco, de olho no carrinho.

Claro que la dentro eu quis falar com a gerência, ouvidoria e o diabo. Afinal eu também pago meus impostos! (quando consigo entrar no banco)

Caixa Econômica:

Aqui é um meio termo: lactante também é gente e pode entrar no banco… mas vai que é uma bandida e tem uma bomba no carrinho? Por isso eu e Lia passamos pela malfadada porta giratória e o segurança passou o carrinho com bebê e tudo, pela outra porta. Ufa! Corri do outro lado para pegar minha menininha dormindo no carrinho.

No final das contas meu conselho é: Não vá ao banco com um bebê!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s