Leitura da Diversidade ou Diversidade da Leitura?

Lia tem muitos livros, a grande maioria escolhido à dedo: livros que me ajudam a construir na Lia valores que acredito. Tem 1 livro de Barbie (que anda sumido) e muito raramente ela ganha um livro que não aprovo. Um dos meus favoritos se chama “As tranças de Bintou”, os desenhos de Shane W. Evans e o texto de Sylviane A. Diouf são lindos e o livro conta a história de uma garotinha que que ter os cabelos trançados, mas não pode por causa da idade, na sua tribo, as meninas pequenas usam birotes no cabelo. Gosto do livro porque ao lê-lo eu aprendi algo novo, que não sabia. Gosto dos desenhos maravilhosos e gosto de ver pessoas negras mostradas em um livro.

Lia tem livros sobre crianças com duas mães, livros com histórias do Japão, histórias de monstros e muitas outras coisas, dentre as quais as princesas é claro. E mesmo aqui, gosto de uma diversidade de pontos de vista: as versões das princesas dos irmãos Grimm são bem interessantes.

Acabei de receber uma indicação da minha amiga Andreia Marques – que é portuguesa e tem um blog maravilhoso – de mais um livro. Muito legal a idéia, já que é um livro com um jogo: o jogo do gato escondido. Não sei como, mas vou ter que dar um jeito de ter o livro aqui em casa. Veja o demo no blog da autora: amei que enquanto a filha maior apresenta o livro e procura os gatos, um bebezinho tenta entrar na brincadeira… muito fofo!

Outro dia passeando pelo Blurb achei um livro que me fez rir muito, adorei! O Cabelo do bebê Joseph é um livro muito divertido que fala sobre o diferente de um jeito que nos reconhecemos o tempo inteiro, a história, fora a extensão do cabelo, poderia acontecer com qualquer um e nos ajuda, sem forçar a barra, a conversar com nossos pequenos sobre alguns temas como a auto-estima.

Mas nem só de construção de valores justos vive o mercado editorial e hoje também me deparei com o texto da Cris no blog Era Cilada falando sobre a revista Crescer e as suas capas, que durante os 2 últimos anos foram feitas exclusivamente com crianças brancas. Nada contra as crianças brancas, aliás, todas lindas, mas o fato é que eu procuro por publicações que estejam alinhadas com os meus valores e principios. Esta revista com certeza não é para mim depois da resposta que foi dada à blogueira sobre o tema que teve mais de 30 mil visualizações.

Ver o livro do bebê Joseph publicado no Blurb me deu uma vontadezinha de, quem sabe um dia, juntar as estórias que inventamos aqui em casa em um livro, as mais-mais são:

  • A menina sorvete de banana;
  • Polegarzinha na furabolândia;
  • Maria, Maria da Graça, Jesus e João;

Enquanto isso não acontece seguimos apresentando as histórias para nossa ouvinte fiel, sempre ávida por nossas histórias, mesmo quando elas não tem pé nem cabeça, porque estamos tão cansados que dormimos no meio da história…

Anúncios

2 thoughts on “Leitura da Diversidade ou Diversidade da Leitura?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s