Casamento Filipino

Sempre usei o termo “relações abusivas” para descrever aquelas relações em que um dos envolvidos impõe suas vontades e valores ao outro. Tive conversas infinitas com amigas sobre como sair de relações amorosas desta natureza.

Pois é… Agora sou eu quem me encontro em uma dessas relações e sem enxergar uma saída para a situação. Já vou esclarecendo que a relação não é de natureza amorosa… estou falando do meu caso com a COMGÁS.

A relação já começou mal: é arbitrária, o casamento é arranjado, e eu a noiva submissa, sigo para o altar com o mesmo ânimo que iria ao meu funeral.

***

 No dia 17 de Agosto, entrei em contato com a COMGÁS e solicitei a ligação do gás na minha residência, no início – como em todo início – fiquei encantada: meu atendimento foi agendado para o dia seguinte!

No dia seguinte o “gasista” foi à minha casa, mas não conseguiu fazer a instalação. Frustração… Ele não deixou um relatório sobre as razões da não-instalação, apenas comentou com o zelador do prédio, que a instalação da tubulação não estava correta. Entrei em contato com a COMGÁS no mesmo dia para saber detalhes do que fazer, mas o “gasista” ainda não havia entrado em contato para encerrar a nota de serviço.

Ah… tudo bem, ele não teve tempo ainda… acho que ele teve um dia cheio. A atendente me informou que o prazo para encerramento da nota era de 24 horas.

Pois é… hoje é quarta-feira, dia 23 de Agosto. A nota de serviço ainda não foi encerrada, estou a 24 minutos no telefone com o atendimento da COMGÁS e continuo com a sensação de que de que estou sendo enganada. Como o prazo para encerramento da nota de serviço: 48 horas… úteis. Eu não estou familiarizada com esta terminologia e pergunto à atendente o que são 48 horas úteis, porque o prazo de 48 horas já venceu… a não ser que só esteja contando as horas comerciais do dia, o que daria à COMGÁS um prazo de 6 dias úteis para encerrar o nosso casamento, digo a nota de serviço.

Não sei porque acabei de lembrar da minha colega de quarto das Filipinas… naquele país os casamentos são indissolúveis e os dois únicos motivos aceitáveis para encerrar um casamento são a morte ou a loucura.

Anúncios

The house

I am an architect… Or I used to be. That’s why I have my opinions about buildings, and it turns out that the buildings I like the most are always, somehow, an extension of people I admire.

Every house has a soul, a history. This beautiful house isn’t different: it is full of big and small details, I’ve been, little by little, getting to know the house and its soul.

The original house was built in the 60’s and reformed. The big tree, standing majestically into the air, was planted back then. These days the family start to consider to cut it down because it is a threat to the house during the storms.

The quiet wooden horse belonged to Kim, and I wonder how many summers, how many children… How many dreams it carried on its back.

Nothing here is just what it seems to be, everything has a history.

Everything is a detail of a bigger picture.

And I bet there are many other stories to be told, kept secretly, quietly in objects, waiting to be harvested and shared.

My heart overflows with each demonstration of love while I am with Dao in the kitchen, listening to her stories, trying to honor the generosity of this family receiving and embracing us, making us feel at home, belonging.

While the children play in the corners of the house, creating their games, baking cinnamon rolls, reading their books, canoeing,  I see new weavers weaving new chapters in the story of this house, adding on to the soul of this place.

If every house has a soul, it is also true that there is always someone to nurture this soul, there is also a keeper, a guardian. Here this guardian is Dao. She is everywhere.

There are always a number of facets in a single person. For these two weeks, Dao has been for me, a source of inspiration, grace, care and beauty.

I feel honored and blessed to be here.

The Beautiful Storm

Clouds come floating into my life, no longer to carry rain or usher storm, but to add color to my sunset sky.  Rabindranath Tagore

The clouds added color, rain and adventure to our day.

We planned a Cookout, and the nature felt invited. The Cumulonimbus announced the rain, the spectacle was so magnificent we  took our places (the best ones!) to testify the grandiosity of the storm, only leaving when the voice of the thunder announced the closeness of the lightning.

After the rain, souls and bodies washed. We ate by the fire.

* Pictures: Agenor Mafra